O governo compara o orçamento federal com o doméstico. A gente mostra que isso não faz o menor sentido.

 

 

1-9SJpvX11BMfhCP7vn4X1rw.gifAparentemente, orçamento é tudo igual. Para não ficar com dívidas, a gente não deve gastar mais do que ganha. Isso vale perfeitamente para o orçamento doméstico, mas não é bem assim quando a gente fala de governos. Na verdade, com governos é tudo muito diferente.

Para início de conversa, os governos federais (ou centrais) dos países estão sempre endividados. Se isso acontecesse com uma família, seria um desastre total, mas os governos fazem coisas que as famílias não fazem e que podem impactar diretamente na quantidade de recursos que os cofres públicos podem arrecadar.

De tempos em tempos, os governos vendem títulos da dívida, ou seja, tomam dinheiro emprestado e pagam esses valores de volta, com juros, após um período. São aqueles mesmos títulos que os cidadãos podem comprar pelo Tesouro Direto.

Ao contrário de quando uma pessoa fica devendo e tem de negociar se quiser pagar juros menores da dívida, o governo é quem diz o quanto vai pagar quando vende esses títulos. Olha só que diferença!

Outra coisa que distingue as despesas de uma família é o fato de que os gastos governamentais têm implicação no quanto o governo vai arrecadar ou até mesmo economizar. Vamos aos exemplos: a construção de hidrelétricas ou de estradas pode atrair novas empresas para uma determinada região. Ao se instalar no local e pagar seus impostos, essas empresas vão aumentar o caixa do governo.

Os gastos públicos têm também um efeito multiplicador na economia. Quando uma empresa é contratada por um governo para fazer uma obra, ele gasta recursos nessa contratação, mas este gasto gera recursos após algum tempo. Sabe como? Bem, a empresa que vai fazer a obra contrata funcionários, que receberão salários e vão gastar esse dinheiro em bens e serviços e, dessa forma, pagar impostos, que voltarão ao governo.

Mas como gastos podem gerar economia? Aí entram outras obras de infraestrutura, como saneamento básico. Por exemplo, a canalização de água e coleta de esgoto, geralmente financiada pelo governo federal, existe uma redução do número de doenças da população beneficiada. Isso diminui os gastos com saúde naquele local. Viu quantas diferenças?

Deixe uma resposta