Quem consegue cuidar dos filhos trabalhando 12 horas por dia?

1-xDWnDL_ItD9NzNhJ9LI2hg.png

Ter filhos é um ato de coragem e de amor. E como toda relação de amor, exige disposição e tempo. Ainda mais quando se é responsável pela formação de uma pessoa. Mas como cuidar dos filhos com uma jornada de trabalho de até 12 horas diárias, como previsto na reforma trabalhista do governo Temer?

Pela proposta, o número de horas trabalhadas por mês pode chegar a 220. Fazendo a conta, isso dá 55 horas semanais e 11 horas por dia, bem perto do máximo de horas permitido pela reforma.

Algumas pessoas podem pagar para ter uma babá (e também as horas extras da profissional). Para essas, é menos uma preocupação: o tempo de deslocamento. Em outros casos, é preciso deixar a criança na casa de parente (que sorte!) ou em uma escola integral. Em casa ou fora dela, o aumento da jornada de trabalho vai acarretar para todas as famílias mais despesas financeiras e menos tempo com suas crianças. Bem menos tempo mesmo.

Vamos à soma de horas de quem não pode deixar sua cria em casa: até 12 horas de trabalho + 1 hora de almoço (para alguns será apenas 30 minutos, como a reforma golpista permite) + tempo de deslocamento (deixar as crianças na escola, depois ir para o trabalho, fazer o caminho inverso ao final do expediente e voltar para casa) que, na melhor das hipóteses, é de 2 horas + 4 horas de aulas. Até aqui, já chegamos a 19 horas do seu dia.

Só que ninguém chega em casa e vai para a cama direto. É preciso comer e dar comida para a criança, tomar banho, resolver algumas coisas. Vamos imaginar que estamos falando de uma pessoa muito ligeira e que demore mais uma hora nessas coisas. Chegamos a 20 horas. Sobram 4 horas para dormir.

Deixe uma resposta