5 piores patacoadas do governo Temer (até agora)

 

 

0-OP3pkv3-BQ5d641--.jpgEm oito meses de governo do eterno vice-decorativo, Michel Temer que se tornou o presidente não eleito do país, acompanhamos diversos erros e mudanças de planos por conta da desaprovação da população em relação às medidas do governo Temer golpista.

Reunimos as 5 piores patacoadas do governo que está aí, confira junto com a gente:

1- Confunde radialista com presidente argentino

Há provas e convicções, confira o áudio aqui. O que vocês acharam do portunhol do Temer?

2- Zero empatia com os familiares da tragédia em Chapecó

Diante de um dos mais graves acidentes de avião envolvendo um time inteiro de futebol brasileiro, Temer não se solidariza com a dor dos familiares das vítimas, só presta atenção em si mesmo.

Com medo das vaias e da impopularidade do governo que golpeou a democracia,Temer pede aos familiares das vítimas do time da Chapecoense para recepcioná-lo no aeroporto da cidade, porque se fosse ao velório coletivo na Arena Condé poderia sofrer vaias e manifestações contra o governo não eleito por voto popular.

Como disse o pai de um dos mortos na tragédia: uma falta de respeito com as famílias das vítimas. E ainda completamos: não é só de respeito, é de noção.

3- Media training pra que?

No início deste ano, Temer participou de um evento no Rio Grande do Sul e confundiu a moeda atual, o real com o cruzeiro.O Cruzeiro foi substituído pelo Cruzeiro Real em 1993. A moeda brasileira passou a ser o Real um ano depois, em 1994.

Ou seja, Temer é um presidente não eleito que vive andando pra trás, inclusive confundindo as moedas e as épocas da História. Será que não seria hora de cogitar fazer um media training e se preparar melhor para falar com a imprensa e com as (os) brasileiras (os)? Se bem que prestar contas do que está sendo feito no governo parece não ser tão importante assim e aparentemente ele prefira um outro tempo da nossa história, talvez até seja uma obsessão, com os idos de 1964 e os terríveis anos que vieram depois.

4- Ministério da Cultura e #OCUPAMINC no país inteiro

Temer é uma pessoa bem apegada ao passado, não é mesmo? Logo no início do golpe, em maio de 2016, ele quis incorporar o Ministério da Cultura ao Ministério da Educação, igualzinho como era em 1985, na época de José Sarney como presidente.

O anúncio do governo que está aí mobilizou muitos artistas, profissionais e apreciadores da cultura brasileira que indignados com a proposta do governo golpista ocuparam diversas sedes do Ministério da Cultura pelo país.

Logo depois, Temer volta atrás na decisão de extinguir o Ministério da Cultura e incorporar ao Ministério da Educação.

5- Machistério

No dia posterior ao golpe, Temer anunciou seu time de ministros do governo para tirar o Brasil “do vermelho”. No Ministério, ou Machistério de Temer, só há homens brancos compondo sua pasta ministerial. Sem mulheres e tampouco negros ocupando cargos de ministros. Após duras críticas e muito debate, ele volta atrás novamente e diz que as mulheres teriam sempre espaço no governo em cargos de apoio. Meses depois nomeou a “representante do mundo feminino” Grace Mendonça para a Advocacia Geral da União (AGU).

Além de mentir sobre a profissão da própria esposa, Marcela Temer, em rede nacional, dizendo que ela era advogada aprovada em exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), quando na realidade ela é bacharel em Direito. Temer também a proibiu de conceder entrevistas.

O governo da “Ordem e do Progresso”, que copia o logotipo da bandeira durante o período do golpe militar é um governo extremamente fora dos tempos atuais. É um governo focado nos retrocessos e na perda dos direitos para as mulheres e para os trabalhadores.

Quais as outras patacoadas do governo Temer que não estão aqui, mas que você lembra? Vamos atualizar a lista com as sugestões de vocês.

Deixe uma resposta