8 Super Ricos do Brasil tem mais da metade da riqueza do país. Nenhuma mulher está entre eles

 

 

1-Tg6FXLrllywlzruzHEesSg.pngA concentração de renda no Brasil segue a mesma lógica da mundial. Por aqui, além de as oitos pessoas mais ricas do país serem homens, três deles são donos do Grupo Globo. Talvez seja a explicação pela qual vivemos em uma sociedade conservadora, machista e manipuladora, não é mesmo?

Mas quem são esses homens que, juntos, têm a mesma grana que mais de 100 milhões de brasileiras e brasileiros, ou seja mais da metade da população do país? A gente conta e mostra o ranking, logo depois de perguntas bem no estilo “Globo Repórter”: “O que fazem? O que eles têm? São donos de quê?”

1- Jorge Paulo Lemann é sócio 3G Capital e portanto da InBev, da Budweiser, do Burger King e da Heinz (aquela do ketchup e da mostarda) e tem uma fortuna avaliada em US$ 27,8 bilhões.

2- Joseph Safra é descendente de uma família de banqueiros. Dono do banco Safra e sócio da Chiquita Brands Internacional, com fortuna estimada em US$ 17,2 bilhões, mas os dados são de 2015.

3- Marcel Herrmann Telles, sócio da 3G Capital, tem US$ 13 bilhões

4- Carlos Alberto Sicupira, também sócio da 3G Capital, com fortuna de US$ 11,3 bilhões

5- Eduardo Saverin, de 34 anos, foi um dos cofundadores do Facebook, vive atualmente em Cingapura e investe em startups de tecnologia. Seu patrimônio é de US$ 6,5 bilhões.

6, 7 e 8 — os irmãos João Roberto Marinho, José Roberto Marinho e Roberto Irineu Marinho são herdeiros do herdeiro do Grupo Globo. Cada um tem fortuna pessoal de US$ 4,3 bilhões.

As 8 pessoas mais ricas do País são HOMENS e BRANCOS. Não há uma mulher na lista. Desigualdade social, de gênero e raça, vemos muito por aqui.

De acordo com o Relatório “Uma economia para os 99%”, da Oxfam, os trabalhadores menos remunerados e que trabalham nas condições mais precárias são, predominantemente, mulheres e meninas. Além de serem obrigadas a ter empregos mais precários, receberem salários menores em comparação aos dos homens, elas ainda trabalham mais. E dedicam em média 2,5 vezes mais tempo aos trabalhos de cuidado com a casa e dos filhos, em relação aos dos homens. Imaginem como ficará a vida das mulheres se a Reforma Trabalhista do governo golpista for aprovada, com o pacote jornada de 12 horas, férias parceladas e almoço de meia hora?

E a Reforma da Previdência que prevê aposentadoria mínima de 65 anos igual para mulheres e homens. É, os próximos anos serão de muita luta e força feminista.

Parafraseando a famosa frase da Rede Globo — Justiça e equidade de direitos entre gênero e raça, a gente não vê nada por aqui!

Deixe uma resposta