FENABAN impede pais de acompanharem seus filhos nos primeiros 20 dias de vida

 

 

1-QlSEi_N1h1u9jQIzb8c2LQ.pngPai é quem cria. E para criar é preciso estar presente no dia-a-dia da criança, desde cedo. O Sindicato dos Bancários de São paulo, Osasco e região lutou para que, na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de 2016–2018, a licença-paternidade fosse estendida para 20 dias. A Fenaban, no entanto, prejudica o fortalecimento do vínculo familiar, além de descumprir a Lei 13.257, de 08/03/2016, sancionada pela ex-presidenta Dilma Rousseff.

Apesar de todas as garantias, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) insiste em impedir que os pais estejam próximos do recém-nascido e de sua companheira/companheiro em momento tão importante e delicado. Procurada pela entidade dos trabalhadores, a FENABAN alegou não ter encontrado a legislação.

Para facilitar a busca da FENABAN, o Sindicato enviou link do orçamento federal que comprova a liberação dos recursos para a ampliação da licença. Pois é, a Fenaban está descumprindo a CCT e a lei, embora já existam recursos para que a medida seja colocada em prática.

A entidade dos trabalhadores bancários também exigiu que os pais que tiveram a licença paternidade negada exerçam seu direito de forma retroativa.

Tudo isso leva a gente a pensar: qual é o objetivo de impedir que os pais passem mais tempo com os filhos?

Quando um direito não é respeitado, os trabalhadores devem fazer denúncias ao Sindicato que, assim, pode cobrar dos bancos. Para isso, entre em contato com o Fale Conosco (pelo www.spbancarios.com.br), pela Central de Atendimento Telefônico (no 3188–5200) ou pelo WhatsApp (97593–7749).

Para ter direito à licença paternidade é preciso solicitá-la à empresa até o 2° dia após o parto e apresentar um certificado de curso ou qualificação em paternidade responsável.

O curso pode ser feito em alguns locais e também online. O Sindicato dos Bancários de Osasco e região também formulou um curso que aborda situações práticas do cotidiano com um recém-nascido, além de aspectos psicológicos e questões de gênero. A 1° turma está prevista para fevereiro deste ano. Mais informações: 3188–5200.

Deixe uma resposta