Em todo o país, cidadãos sofrem com o fechamento das agências dos Correios

 

1-cKJh8uMyp9zzkPbbha0L5A.png

O carteiro que passava todo dia deixou de ser realidade em várias partes do Brasil. Em São José do Rio Preto (SP), ele só passa aos sábados. Na mineira Poços de Caldas, é dia sim, dia não. Mas em Benfica, no Rio, cada um tem de ir até a agência buscar suas correspondências. Em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, uma agência que tem mais de 40 anos vai fechar.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) quer fechar mais de 250 agências até o final de 2017, o que vai dificultar ainda mais a vida da população. O resultado? Boletos que não chegam no prazo, contas que são pagas com atraso (e multas!) e a dificuldade de transportar algumas encomendas.

Quem mora do bairro de Mary Dota, em Bauru, por exemplo, vai ter que viajar mais de 20 quilômetros para pegar correspondências e encomendas. Isso porque a agência dos Correios, que atende 30 mil habitantes do local, vai fechar.

Deixe uma resposta