Mais um 7×1. Não péra! 8×1: Relembre 8 gol…pes que você já levou do governo Temer

1-VcLRjExLAyTU2-5V4tLEaQ.png

Todos os dias recebemos uma enxurrada de notícias ruins vindas do governo golpista. Se compararmos o que está acontecendo com uma partida de futebol e pensarmos que os gols são perdas de direitos sociais, vamos perceber que nós, o povo brasileiro, estamos tomando uma goleada desse governo ilegítimo. Até agora, só conseguimos fazer com que eles voltassem atrás na manutenção do Ministério da Cultura, após várias ocupações no País inteiro. Sabe o que isso quer dizer? Que vale a pena lutar e demonstrar nosso descontentamento!

Se você ainda não se tocou do momento que estamos, a gente ajuda. Fique atento, busque forças e vá à luta!

1- Aprovação da PEC55.

Congelar por 20 ANOS os investimentos em saúde, assistência social e educação é um dos maiores “olés” nos direitos dos brasileiros dados pelo governo Temer. Vamos dar um ´replay´ nesse lance e lembrar que, com ampla maioria de votos tanto na Câmara quanto no Senado, os golpistas deixarão de investir até 2036, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no Sistema Único de Saúde (SUS) até R$ 743 bilhões e a assistência Social terá seus investimentos reduzidos em 54%. Na área da educação, segundo a Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira (Conof) da Câmara dos Deputados, as perdas serão de cerca de R$ 24 bilhões por ano.

2- Terceirização sem limites

Terceirizar é jogar fora o papel social do trabalho e reproduzir uma experiência que já se mostrou desastrosa em outras partes do mundo. É rasgar parte da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), ir contra as diretrizes da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e descartar dados que mostram como a medida é ruim para a população. Agora é permitido, por lei sancionada pelo ilegítimo Michel Temer, terceirizar a principal função das empresas. Isso quer dizer que poderemos ter bancos sem bancários, escolas sem professores, fábricas sem funcionários, hospitais sem médicos, porque todos trabalharão para empresas terceirizadas ou se tornarão, eles mesmos, empresas, transformando-se em PJs (pessoas jurídicas). Sabe o que isso significa? Trabalhar sem direito à férias e 13º salário e, na maioria das vezes, ter jornada de mais de 8 horas diárias — e, muito provavelmente, essa prorrogação não será remunerada.

3- Venda do Pré-Sal e fim do Fundo Soberano

Os golpistas se sentem os donos da bola e encerram partidas decisivas para o futuro da nação sem qualquer debate. É o caso do petróleo do pré-sal, que deixou o País orgulhoso pela alta qualidade e dificuldade de extração. Agora, vem sendo vendido para empresas estrangeiras, por valores muito menores e em condições muito diferentes dos inicialmente propostos pelo atual governo. Em maio de 2016, Temer anunciou o fim do fundo soberano, instrumento financeiro usado por alguns países e que tinha como objetivo formar poupança pública, combater efeitos de eventuais crises econômicas e auxiliar projetos de interesse brasileiro no Brasil e no exterior por meio de investimentos aqui e em outros países. O fundo da Noruega, que inspirou o brasileiro, são os recursos do petróleo que alimentam os investimentos, vistos pela população como algo que pertence a todos os noruegueses. O nosso, deveria ser abastecido pelos royalties do pré-sal. Mas agora parte do pré-sal se foi e o fundo soberano também.

4- Reforma do Ensino Médio

Sem diálogo com estudantes, professores, especialistas e pais de alunos. Foi assim, “entrando de carrinho”, a aprovação da reforma do Ensino Médio no Congresso Nacional. Entre os pontos mais polêmicos, a retirada da obrigatoriedade do ensino de matérias como sociologia, artes, educação física, espanhol e filosofia. A justificativa? Redução dos custos para a transformação do ensino médio num curso mais técnico e para a ampliação da oferta do ensino integral também nessa etapa da educação formal dos alunos. Mas você se lembra que o governo congelou por 20 ANOS os investimentos em educação? De onde vão sair os recursos para transformar o ensino médio em educação de período integral? E o dinheiro para a compra de equipamentos para deixar o ensino mais técnico? A conta não fecha, não é mesmo? Só dá para concluir uma coisa: o objetivo é o desmonte da educação pública secundária no País.

5- Políticas sociais no final da fila das prioridades

Cada governo escolhe as sua prioridades. E com certeza, a preferência do governo golpista não são as políticas sociais e de cuidados com as mulheres. O primeiro sinal foi dado quando Temer divulgou a sua equipe — craques em corrupção, vale lembrar — de governo, que ficou conhecida como “Machistério”, por ter sido formada apenas por homens. Além disso, ele extinguiu a Secretaria da Igualdade Racial, a Secretaria dos Direitos Humanos e reduziu a Secretaria das Mulheres a uma salinha no Ministério da Justiça. Neste ano, houve redução de 61%, da verba para atendimento à mulher em situação de violência, além da retirada de verbas das políticas de incentivo de autonomia das mulheres. Mas não foi só isso. Programas vistos como prioritários nos governos Lula e Dilma foram duramente afetados. O “Minha Casa, Minha Vida”, que permitiu que o sonho da casa própria se tornasse realidade para milhões de brasileiros sofreu redução de recursos e o “Ciências sem Fronteiras” foi extinto. Enquanto isso, o Brasil é o 5º país do mundo onde mais se mata mulheres e o 1º no ranking de assassinato de transgêneros e travestis.

6- Desmonte dos bancos públicos

A ideia é privatizar tudo. E isso não exclui os bancos públicos, responsáveis por cerca de 70% do crédito rural e pela maior parte dos financiamentos de imóveis. O desmonte dos bancos públicos já começou com a redução de postos de trabalho, programas de incentivo à demissão e fechamento de agências bancárias. Além de afetar a vida desses bancários, pois as medidas impõem uma carga de trabalho maior a eles, a população sobre ao ter de se deslocar mais para ir ao banco e enfrentar filas para ser atendida.

7- Consegue emplacar seus aliados nos cargos mais importantes do governo

Foi assim com Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal (STF), com Rodrigo Maia, na presidência da Câmara dos Deputados, Eliseu Padilha, para Ministro-Chefe da Casa Civil, etc, etc, etc. É uma arte: Temer e seu time matam no peito e seguem driblando o Brasil inteiro.

8- Redução dos Mais Médicos

Mais um “chapéu” na saúde de todos nós. Criado para levar atendimento onde há escassez de profissionais da saúde e melhorar o atendimento do SUS, o programa Mais Médicos chegou a ter 18.240 participantes, garantindo acesso a cuidados profissionais para 63 milhões de pessoas em 4.058 municípios. Hoje o número não chega a 16 mil médicos em menos de 3.800 municípios. Isso significa que 7,7 milhões de pessoas deixaram de ser atendidas pelo programa e ficarão sem atendimento médico de qualidade. Já tá na hora de parar de levar gol e darmos um cartão vermelho para esse presidente ilegítimo.

Deixe uma resposta