Trabalho intermitente precariza a vida do trabalhador. Aconteceu no Reino Unido. Aqui, não vai ser diferente

1-FWkQEKIWnzhn1A8sMUsYBQ.png

Já imaginou ficar horas à disposição do empregador, mas só receber pelo tempo em que ele quiser que você trabalhe? Pois isso é chamado trabalho intermitente, um tipo de contrato que a reforma Trabalhista quer tornar legal no Brasil.

No Reino Unido esse tipo de contrato já é permitido. O resultado? Trabalhadores sem dinheiro sequer para pagar suas contas. Imagine alguém que trabalhe numa lanchonete ou num restaurante. Nas horas de maior movimento, a pessoa trabalha, mas assim que tudo se acalma, o trabalhador é dispensado (e deixa de receber pagamento), mas tem de ficar à disposição, já que será chamado assim que chegarem mais clientes ao estabelecimento. Ou seja, o trabalhador não sabe quanto vai receber no final do mês, pois não sabe quantas horas vai trabalhar.

A desculpa para a permissão desse tipo de trabalho, tanto aqui quanto no Reino Unido, é a de permitir que estudantes e pessoas que queiram trabalhar apenas algumas horas por semana consigam exercer alguma função. Mas várias grandes empresas e até multinacionais que atuam em território britânico têm 90% de sua mão-de-obra nessa situação, o que mostra que, no geral, os trabalhadores têm aceitado essas condições não porque querem, mas por total falta de escolha.

Deixe uma resposta