20 de junho – Dia Mundial do Refugiado

De 2010 a 2015, os pedidos de refúgio cresceram 2.868 % no Brasil. Haitianos, senegaleses, sírios, bengaleses e nigerianos estão entre as cinco maiores nacionalidades que sonham em começar uma nova vida por aqui.

De acordo com o relatório do Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE) de 2016, órgão ligado ao Ministério da Justiça, mostra que os sírios formam a maior comunidade de refugiados reconhecidos no Brasil. Eles somam 2.298, e são seguidos pelos angolanos (1.420), colombianos (1.100), congoleses (968) e palestinos (376). Ao todo são 79 nacionalidades presentes no Brasil.

Seguindo a tendência de uma política fascista mundial. No ano em que Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, anuncia a construção de um muro que vai separar os Estados Unidos do México e o anúncio da quebra da  reaproximação dos Estados Unidos com Cuba realizada pelo ex-presidente dos EUA, Barack Obama. O governo Temer também anunciou este ano que suspende a negociação com a Europa para receber refugiados sírios no Brasil. 
O deslocamento forçado promove muito sofrimento humano e ainda mais agora com diversos países se fechando para não receber mais imigrantes, a Agência da ONU para Refugiados (Acnur) promove uma agenda de atividades em São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro para lembrar que no dia 20 de junho, comemora-se o Dia Mundial do Refugiado e pretende mostrar a importância do auxílio das pessoas refugiadas no desenvolvimento do país que os recebe e não só como pessoas que precisam ser salvas em meio a conflitos, guerras e ataques terroristas.
Entre os eventos para comemorar o Dia Mundial do Refugiado, haverá feiras culturais, mostras de cinema, seminários e a divulgação do relatório “Tendências Globais – Deslocamentos Forçados em 2016”. 
A cidade de São Paulo receberá a Mostra Internacional de Cinema “Olhares sobre o Refúgio”entre os dias 22 e 27, no CineSesc, na Cerqueira César. A entrada é gratuita e a programação tem início sempre às 19h.
Para saber mais sobre a programação no Rio de Janeiro, Brasília e até mesmo na capital paulista, acesse o site da Acnur e pelo evento MigrArte, no facebook.

Deixe uma resposta