Derrota de Temer: comissão do Senado rejeita relatório da reforma trabalhista

placar reforma trabalhista

Por 10 votos a 9, a Comissão de Assuntos Sociais rejeitou o relatório da reforma trabalhista, elaborado pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES). É uma derrota do governo de Michel Temer e uma importante sinalização em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras.

A reforma segue o trâmite no Senado e ainda passa, com parecer desfavorável, pela Comissão de Constituição e Justiça e, depois, pelo plenário.

A reforma trabalhista estabelece diversas mudanças nas relações entre patrão e empregado, com destaque para o chamado “negociado sobre o legislado”. Isso quer dizer que a negociação direta, coletiva ou individual, passa a valer mais do que a lei. Como há uma assimetria de poder entre trabalhador e empresário, a tendência é de que o patrão tenha muito mais força e os direitos de quem trabalha sejam enfraquecidos e flexibilizados.

Conheça 120 ataques da reforma trabalhista aos trabalhadores.

Deixe uma resposta