Lula à Rádio Brasil Atual: “não é possível que esse país possa em tão pouco tempo desmontar como desmontou”

Apesar de Você, do Chico Buarque, Ser Humano, de Arlindo Cruz com Zeca Pagodinho, Paraíso das Hienas, de Jessé, O que é, O que é, do Gonzaguinha. Essas foram algumas das músicas escolhidas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tocar durante a entrevista que concedeu à Rádio Brasil Atual nesta quinta-feira (22).

Durante duas horas, Lula falou sobre a mudança na visão do mundo sobre o Brasil, sobre a amizade com Chico Buarque, sobre a recuperação depois do câncer, sobre a importância da política e da democracia, sobre a luta e os desafios do sindicalismo, sobre intolerância e sobre diversos outros temas que surgiram ao longo da conversa com o apresentador Colibri.

“Todo o mundo respeitava o Brasil, porque o Brasil estava dando certo. Eu jamais imaginei que eu fosse deixar a Presidência e nós fôssemos retroceder ao nível em que estamos. Inclusive o nível de intolerância, de ódio entre as pessoas”, disse o ex-presidente logo no começo da entrevista.

Lula se mostrou preocupado não só com a situação política do país, mas com a deterioração das relações pessoais. “A gente precisa criar uma sociedade mais solidária. Ter mais coração, ter mais amor, ter mais paciência, pra gente criar um mundo novo, alguma coisa mais gostosa de a gente viver e conviver.”

O enfraquecimento das instituições e da indústria nacional e a perda de direitos sociais impostos pelo governo golpista de Michel Temer também foram pauta da entrevista. Lula criticou o corte de investimentos na área social: “não é possível que esse país possa em tão pouco tempo desmontar como desmontou”.

A Lava Jato também surgiu na conversa, e Lula criticou a criação de uma imagem negativa e a disseminação de mentiras a seu respeito. “Eu já provei a minha inocência, quero que eles provem a minha culpa.”

Assista a entrevista na íntegra:

 

Autor: Cris Rodrigues

Jornalista e social media.

Deixe uma resposta