Presidente da Eletrobras, que deve cortar quase 50% do seu pessoal, chama chefes da empresa de “vagabundos” e “safados”

A direção da Eletrobras planeja uma reestruturação na empresa e pretende quer reduzir o quadro de pessoal em quase 50%, além de vender distribuidoras de energia e imóveis da estatal.

Durante uma reunião com sindicatos para discutir as medidas propostas, o presidente da empresa, Wilson Ferreira Júnior, disse que 40% da chefia da Eletrobras são “vagabundos” e “safados”.

Indicado pelo governo Temer, Ferreira Júnior assumiu o cargo em junho de 2016, quando deixou a presidência da distribuidora CPFL Energia, que é privada, para assumir a maior empresa elétrica do País, com o objetivo de privatizar e demitir boa parte dos funcionários.

“São 40% da Eletrobrás. 40% de cara que é inútil, não serve para nada, ganhando uma gratificação, um telefone, uma vaga de garagem, uma secretária. Vocês me perdoem. A sociedade não pode pagar por vagabundo, em particular, no serviço público”, disse Ferreira Júnior, como pode-se ouvir nos áudios gravados durante a reunião com sindicalistas em 1º de junho.

Num ato de repúdio às palavras do presidente da empresa e para pressionar o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de 2017, os funcionários da Eletrobras fizeram uma paralisação de 24 horas no dia 22 de junho e já aprovaram, em assembleia, uma nova interrupção das atividades nos dias 28,29 e 30 deste mês.

Deixe uma resposta