Senadores vão votar a reforma trabalhista.Vamos pressioná-los!

 

Terça-feira, dia 11 de julho, acontece a votação no plenário do Senado da reforma trabalhista, que tramita em regime de urgência.

O texto foi aprovado em duas comissões da Casa – na de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e na de Assuntos Econômicos (CAE) – e rejeitado na de Assuntos Sociais (CAS).

O PLC 38/2017, que altera vários artigos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) permite várias formas de contratação que vão deixar o trabalhador mais vulnerável, não conta com o apoio da população. Pesquisa Datafolha mostra que 64% acham que ela só beneficiará os patrões, mas a impopularidade é ainda maior na consulta pública realizada pelo Senado, na qual, até 10 de julho, mais de 90% se declaram contrários à reforma.

Entidades como a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra) também declararam sua rejeição ao projeto, juntamente com juízes do Tribunal Superior do Trabalho, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e o Centro de Estudos Sindicais e de Economia (Cesit, da Unicamp).

Representantes de movimentos sociais e sindicais estarão em Brasília no dia 11 de julho para pressionar os senadores para que não votem a favor do PLC 38/2017, mas você também pode fazer a sua parte, de onde estiver. Acesse o www.napressao.org.br e clique em “reforma trabalhista”. Você verá três listas, com aqueles que são a favor, estão indecisos e são contra a reforma trabalhista. A ferramenta permite enviar e-mails para os senadores das três listas ou das que você achar que deve, pedindo para que votem contra a medida.

Deixe uma resposta