Pesquisa do Procon-SP mostra diferença entre tarifas cobradas por bancos

TARIFABANCOS.png

 

A gente sabe que os bancos ganham muito, mas muito dinheiro com as tarifas que nós pagamos para eles (a gente fez uma matéria sobre isso no ano passado. Mas como saber qual deles cobra mais? E ultimamente, qual elevou mais suas tarifas?

A Fundação Procon de São Paulo fez um levantamento das tarifas cobradas por seis bancos – Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Itaú, Santander e Safra – entre 2 de junho de 2016 e 6 de junho deste ano e também comparou a diferença cobrada por um mesmo serviço em bancos diferentes.

Neste caso específico, o Procon encontrou uma diferença de 444,44% na tarifa cobrada quando uma pessoa usa o cartão de crédito para pagar boletos, tributos e contas de consumo (como contas de água, luz e boletos bancários), serviço descrito como “cartão de crédito básico – pagamento de contas utilizando a função crédito”. A maior tarifa é a do Santander, que desconta R$ 24,50 a cada pagamento feito dessa forma pelo cliente. A menor foi a do Banco do Brasil, que cobra R$ 4,50 por operação. O Itaú não cobra pelo serviço e o Safra não oferece esta opção.

É difícil acreditar, mas o valor de algumas tarifas não foram alteradas no período pesquisado. E o banco que mais manteve os preços foi o Safra, onde 25 tarifas ficaram inalteradas. Na sequência ficaram Santander, que manteve os valores de 23 tarifas e Itaú e Bradesco e Bradesco, empatados, com 15 preços iguais cada. Já os bancos que registraram o menor número de tarifas sem alteração foram os públicos: BB e Caixa, que mantiveram os valores de apenas 8 serviços em suas tabelas.

Mas, obviamente, essas instituições financeiras compensaram essa estabilidade de preços aumentando outras tarifas. E, mais uma vez, a liderança negativa ficou com os bancos públicos. O BB elevou o valor de 31 de seus serviços, com até 100% de aumento. Na Caixa, foram 28 tarifas elevadas, mas a alta chegou a 126,67%.

Nos demais, tanto a quantidade de tarifas elevadas, quanto o porcentual de aumento foram menores. No Bradesco, 25 tarifas tiveram seus valores alterados e a maior variação foi de 19,38%; no Santander 18 tarifas subiram, sendo que a maior alta foi de 11,87%.

O Itaú elevou o valor de 26 de seus serviços e a maior variação foi de 10%, enquanto no Safra 16 tarifas subiram até 12,50%.

Você pode conferir todos os dados da pesquisa em: http://www.procon.sp.gov.br/pdf/Reltarifas_2017.pdf

Deixe uma resposta